terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Minha primeira experiência em edição

"Ih, desculpe, mas eu não sou editora, nunca editei", respondi para a diretora da BOA FORMA, Claudia Visoni, quando ela me encomendou um guia de moda. "Ah é? Pois agora você tá 'grávida' e... Dêxa ver... Daqui a três semanas vai parir um livrinho cheio de dicas bacanas, um guia de moda com boas dicas e sugestões".

O livrinho saiu e ficou ótimo.

Dicas úteis e atemporais.

Caprichamos nas dicas e na informalidade visual: simples porém bem-feito.

A equipe.

Ana Paula falou de celulite quando isso era pecado


Dezembro de 1997: minha capa na revista BOA FORMA com a modelo e atriz Ana Paula Arósio. Na época, ela era considerada um dos rostos mais lindos do mundo.

Equipe da revista dá boas-vindas à 1998!

Tô logo abaixo, à esquerda, de cabelo ruivo e calça preta.

Sumário: a coordenação de produção da capa foi de Tina Kugelmas.

"Bonita demais" foi o título da matéria. Eu queria outro.

"Eu tenho celulite" era meu título. Ana foi a primeira celebritie a dizer isso abertamente.

Ela mandou essa quando perguntei sobre celulite. "As pessoas devem encarar celulite como pêlo encravado. É uma anomalia, mas existe, ué! Vai fazer o quê?".

Ansiedade zero. Sucesso de Ana Paula também era a paz.

"O kung fu aumenta o poder de decisão", ela diz nessa entrevista.

Assinei perfil não autorizado de Maria Bethânia

Fiz a reportagem que ganharia texto final de Fred Suter - e chamada tarja preta na capa.

Era setembro de 1994 e quem me chamou foi a jornalista Elda Priami.

Eu tinha 27 anos e pouca experiência para assinar sozinha em INTERVIEW.

Mas caprichei na apuração. Era 1994, eu morava no Rio de Janeiro e já amava trabalhar.

Tanto que eu fazia "dois turnos": atuava como frila-fixo na redação de CARAS na Torre do Rio Sul das 9h às 16h, e, depois, fazia de casa frilas para o Palmério Dória, que era redator-chefe de INTERVIEW e diretor de redação de INTERVIEW SEXY.

Vinte anos mais velho que eu, o jornalista Fred Suter assinou o texto final. Nunca o conheci pessoalmente, mas estar nas páginas de INTERVIEW com ele me deu gás para seguir perseguindo os melhores. Quem é bamba sabe como eu persigo mesmo (alô, Cynthia de Almeida!).

Assinei no rodapé quando ainda usava o sobrenome do meu pai.